Afinal, seu plano de saúde cobre o DIU?



O DIU (Dispositivo Intrauterino) é considerado um dos métodos contraceptivos mais seguros atualmente, porém segundo o Ministério da Saúde apenas 1,9% das brasileiras recorrem a esse procedimento. Isto ocorre por ainda existir diversas dúvidas e inseguranças acerca do assunto. Dessa maneira, reunimos uma série de informações que irão te auxiliar no processo.

O QUE É O DIU?


Como o próprio nome diz, O DIU é um dispositivo intrauterino em formato de "T", que evita a gravidez sem a necessidade de cirurgia. Ele é muito buscado por conta da sua longa duração, geralmente tendo validade mínima de 5 anos, além de sua segurança de 99% de eficácia.

Existem dois tipos de DIU: O DIU de cobre, que forma uma barreira contra os espermatozoides antes que consigam chegar ao útero; E o DIU Mirena - também conhecido como hormonal -, este é feito de plástico e libera o hormônio progesterona aos poucos. É importante lembrar que o DIU NÃO previne Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST's), além de não ser um método anticoncepcional de emergência.

O DIU de cobre é indicado a mulheres que não podem usar métodos com componentes hormonais - como por exemplo, pacientes que possuem câncer de mama. Já o Mirena, por possuir hormônios, pode diminuir ou parar totalmente o ciclo menstrual. Em casos de pacientes bariátricas, esse método é indicado para evitar o risco de anemia por conta de uma menstruação intensa, que normalmente ocorrem na utilização do DIU de cobre.

COMO FUNCIONA A COBERTURA DO DIU DENTRO DO PLANO DE SAÚDE?


Segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde), através da Resolução Normativa nº 465/21 esclarece que as operadoras devem sim oferecer a cobertura de procedimentos de planejamento familiar, tais qual: as atividades de educação, aconselhamento, contracepção e atendimento clínico, de acordo com o Rol de Procedimento e Eventos em Saúde da ANS vigente.

O plano de saúde deve cobrir o implante do DIU não hormonal – de cobre – (incluindo próprio dispositivo) ou do DIU hormonal – Mirena. Além disso, o plano de saúde também deve realizar a sua troca, quando terminada a validade, bem como a retirada, a troca ou o reimplante do dispositivo (mesmo que ainda no prazo de validade) em decorrência de complicações, da idade da paciente, da opção desta por engravidar ou de outros motivos para os quais haja indicação clínica.


COMO FAZER PARA COLOCAR O DIU PELO PLANO


Agora que já sabemos que seu plano de saúde cobre o DIU, resta descobrir como você pode solicitar esse procedimento. Primeiramente, é importante marcar uma consulta em seu médico ginecologista, que obviamente deve atender pelo seu plano de saúde. Dessa maneira, ele poderá lhe dar assistência na hora de escolher o DIU que melhor atenda suas necessidades e repassar todos os exames requeridos antes da inserção, como por exemplo o Papanicolau e o ultrassom transvaginal.

Após a decisão conjunta com o médico, a colocação deve ser solicitada, o que varia entre as operadoras - por exemplo, existem convênios que exigem autorização prévia. O procedimento é bem simples e pode ser realizado no próprio consultório, durando cerca de 20 minutos. É recomendado que o DIU seja inserido durante o período menstrual, pois o colo do útero está mais dilatado.

Destacamos a importância de consultar um ginecologista, pois o médico te ajudará a entender se o DIU é a melhor opção para você. E aí? Ficou alguma dúvida? Nos fale nos comentários!


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo